Procurar sobre Marcadores Tumorais

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Mama


Em 10 de abril de 2012 10:55, Rosi escreveu:
 
Tive câncer de mama com recidiva apo´s 4 anos, e
 
depois de mais 4 anos metástase nos linfonodos da outra mama
 
sem a a mama estar comprometida e

 
o meu ca-15 nunca deu alerado , como se esplica isto?
--


Olá Rosi,

Utilizo os argumentos expostos no arquivo que vc estava lendo:


A sensibilidade deste exame permite que falhe em 12% das vezes.

O importante para o diagnóstico é a variação de quanto estava antes. 

"A elevação >25% a partir do nível sérico pós-tratamento, indica em 84% dos casos progressão da doença, enquanto a diminuição de pelo menos 50% é observada em 76% dos casos com regressão tumoral comprovada. Variações inferiores a 25% estão presentes na estabilização da doença."

Caso queira maiores detalhes, estou ao dispor

Atenciosamente
Luiz Meira

Mama


SEXTA-FEIRA, 12 DE AGOSTO DE 2011

Reincidiva

Janete escreveu:
 
Dr Luiz!
Minha mãe mastectomia radical e após 6 meses teve reincidiva, fez quimioterapia com Taxol e Hercept e mais 28 sessões de radioterapia, entretanto o marcador
 
CA 15.3 se mantem em 33.2 oscilando entre maior e menor um pouquinho

CA 125 teve resultado de 109,1,
 
estou muito preocupada.

De acordo com a referência está indicado investigação mais detalhada. 
 
Os exames recentes não acusaram problemas.
Tenho observado muitas vezes que os exames acusam problemas não valorizados. Ao somar os diversos detalhes indicados pelos exames, podemos compor algum problema que não seria expresso por somente um deles.
 
O que devo fazer, me oriente estou desesperada e quero ajudá-la.

Veja algumas abordagens gerais que deixo no site:
 
Caso prefira maior detalhamento, veja os serviços que ofereço:


Atenciosamente
Luiz Meira
19  9612 6029

CEA


QUARTA-FEIRA, 12 DE JANEIRO DE 2011


Re: CEA

embora esteja abaixo do normal, é aconselhável monitorar periodicamente para perceber pequenas variações.

outros marcadores podem complementar a análise.

tem arquivos no site que abordam diversos aspectos sobre investigação e monitoramento de neoplasias. 
A ferramenta de busca "procurar em luizmeira.com" existente no cabeçalho  pode ajudar.

Atenciosamente
luizmeira.com
19  9612 6029



Em 12 de janeiro de 2011 14:06, Nena escreveu:
você não me respondeu se e normal o exame

respondi, 

vou grifar em vermelho,
a justificativa encontra-se no link

Em 12 de janeiro de 2011 13:35, elijean lopes cordeiro<elilopes1951@hotmail.com> escreveu:
gostaria de aber se 2,000ng/ml e normal no exame de cea
2,0 < 2,5
dois é menor do que 2,5
2,5 é o padrão mais restrito, de acordo com o link abaixo:

Slides

Bom conteúdo, boas imagens

Marcadores tumorais utilizados em pacientes com câncer de mama

MARCADORES TUMORAIS NO DIAGNÓSTICO E ACOMPANHAMENTO DO TRATAMENTO DO CÂNCER

Gyzelly Gondim de Oliveira  gyzellygo@hotmail.com
Discente do Curso de Farmácia, da Universidade Estadual de Goiás – UEG
Cristiane Alves da Fonseca
Docente do Curso de Farmácia,Universidade Estadual de Goiás -UEG
Recebido em 25/08/2010



Laboratório de Análises Clínicas Verner Willrich

Adriana Helena Sedrez
Farmacêutica Bioquímica
http://www.labvw.com.br/2008/material_cientifico/art_marcadores_tumorais.pdf


Rastreamento e diagnóstico das neoplasias de ovário

Francisco José Candido dos Reis



Slides didáticos

sobre neoplasias com tônica sobre os Marcadores 

Próstata

Detalhamento do PSA


Marcadores Tumorais Bioquímicos Circulantes

Adagmar Andriolo – Universidade de São Paulo

Apresenta a classificação por classes



lab São Camilo

Descrição dos mais usados


OncoGuia

Marcadores Tumorais e o Tratamento de Câncer

Apresenta os marcadores de acordo com os órgãos ou sistemas relativos.

http://www.oncoguia.com.br/site/interna.php?cat=86&id=119&menu=2

Lab Hermes Pardini


Apresenta:

Lab Sérgio Franco



Apresenta variedade de marcadores com as explicações para cada um

Revisão de Literatura


Resumo

Revisão da literatura nacional e internacional sobre o papel dos marcadores tumorais no manejo clínico de pacientes com câncer, 
desde o auxílio no diagnóstico e estadiamento até a avaliação da resposta terapêutica, detecção de recidivas e prognóstico, além de auxiliar na decisão da terapia a ser utilizada, bem como terapias adjuvantes. 

Pacientes que inicialmente apresentam um marcador tumoral em nível elevado, e que se normaliza com a intervenção terapêutica invariavelmente têm uma resposta favorável; 
aqueles que apresentam um marcador tumoral persistentemente elevado ou em ascensão apresentam alta probabilidade de doença recorrente ou progressiva e devem ser vistos como suspeitos de doença metastática.